Tamanho do texto:A-A+

Publicidade

PUBLICIDADE Conheça o Instituto TRATA - Joelho e Quadril

Fisioterapia do Trabalho

10 comentários
Imprimir Enviar por email para um amigo
fisioterapia do trabalho

Para manter a qualidade do trabalho, é preciso que o trabalhador esteja com a saúde em dia. É essa a função da fisioterapia do trabalho: prevenir, resgatar e manter a saúde do trabalhador. Para isso, aspectos como biomecânica, ergonomia, atividade física laboral e recuperação de queixas ou desconforto físicos estão entre os elementos trabalhados pelo fisioterapeuta.

Para evitar tais desconfortos dentro e fora do trabalho e proporcionar um maior desempenho e produtividade, além, é claro, do bem-estar, o fisioterapeuta deve avaliar, prevenir e tratar as lesões ocasionadas pelas atividades exercidas durante as horas de trabalho. Essa análise deve conter não apenas o profissional, mas tudo que envolve o seu ambiente de trabalho.

Na ergonomia, por exemplo, o fisioterapeuta tem a função de detectar os movimentos realizados pelo trabalhador durante suas horas de atividade, distinguindo de maneira clara as exigências do trabalho e as dificuldades que o trabalhador enfrenta. Assim, unindo à ergonomia a cinesiologia e a fisiologia, o fisioterapeuta atua de forma significativa nos meios de produção do profissional e promovendo sua saúde.

Hoje, o fisioterapeuta do trabalho também é responsável pela por desenvolver programas que previnem acidentes, além de prestar consultoria e realizar a readaptação do funcionário afastado que retorna ao trabalho. Durante a prevenção, é função dos fisioterapeutas incentivar os empregados a adquirir novos hábitos de vida e adquirir uma consciência corporal, gerando um bem estar físico e emocional no ambiente de trabalho. Durante a fisioterapia preventiva também é possível reduzir as chances do aparecimento da LER/DORT.

As atribuições do Fisioterapeuta do Trabalho são:

– Prevenir desconforto ou queixas músculo-esqueléticas nas atividades laborais;

– Estudar a ergonometria do trabalho, junto à equipe de saúde e segurança do trabalho;

– Promover palestras de conscientização, capacitação e treinamento preventivo de doenças ocupacionais;

– Realizar orientações posturais e ergonômicas aos trabalhadores (dentro e fora do ambiente de trabalho e durante a execução de suas atividades ocupacionais;

– Avaliar a posturar e a analisar a biomecânica das tarefas nos postos de trabalho, promovendo a adequação do posto e das posturas para um melhor desempenho;

– Desenvolver programas de ginástica laboral;

– Realizar o tratamento das patologias ou das queixas músculo-esqueléticas, dentro ou fora da empresa.

– Promover ações terapêuticas preventivas às instalações de processos que levam a incapacidade funcional do trabalho.

– Analisar os fatores ambientais, contributivos ao conhecimento de distúrbios funcionais laborais.

– Desenvolver programas coletivos, que contribuem para a diminuição dos riscos de acidente de trabalho.


  • João Victor

    Se os problemas no trabalho se limitassem às questões físicas, estava tudo certo, como não é o caso, me desculpem, mas considero a Fisioterapia do Trabalho reducionista e pouco prática na melhora da qualidade de vida no trabalho. Quando trabalhava em uma empresa de telemarketing, ia um fisioterapeuta realizar ginástica laboral uma vez por semana, ficava meia hora com cada grupo e ia embora. Os fatores que influenciam a dinâmica de trabalho não são apenas físicos, são também psicológicos e sociais.

    • Leticia Borges Cardoso

      Cada profissional é um, e cada empresa é uma!
      Talvez por esse fisioterapeuta ir uma vez na semana e fazer só isso você acha que não dá resultado…
      O certo seria o fisioterapeuta presente no dia dia da empresa e não só uma vez na semana. Pensa nisso! que não é a profissão e sim como a empresa contratou o profissional.

      • João Victor

        O que quero dizer é que a Saúde do Trabalhador não se restringe a uma profissão, o correto é ter uma equipe multidisciplinar. Critico os profissionais fisioterapeutas que acham que a ginástica laboral é o único recurso, não todos nem a categoria. Relatei uma situação para explicitar minha opinião, porém, me expressei equivocadamente.

        • Kátia Franco

          João Victor, o fisioterapeuta não acha que a ginástica laboral é o único recurso. O fisioterapeuta apresenta para a empresa várias propostas para atuação. Existem terapias manuais, intervenção ergonômica, dinâmica para promover a diminuição da tensão e stress gerados pela pressão no trabalho, blitz postural, uma infinidade de abordagens. Porém, a grande maioria das empresas não investem nestas abordagens e limitam-se a contratar o serviço que é obrigatório pela legislação (que é a ginástica laboral). A falha, então, não é na atuação do fisioterapeuta, e sim, ou na empresa que não investe no bem estar global do seu funcionário, ou na lei que determina apenas a ginástica laboral como obrigatória para a boa saúde do trabalhador, ao invés de um bom programa completo de qualidade de vida na empresa, por exemplo. Espero ter esclarecido.

    • talita

      João Victor concordo, mas dependo muito do que foi negociado com a empresa. O Trabalho de um Fisio é muito abrangente pois trabalhamos no aspecto físico e ambiental, o correto seria termos carta livre para corrigir e modificar o q for necessário para o bem estar dos funcionários, mas essa não é a realidade. Estamos nas empresas apenas por ser obrigado por lei, as empresas cumprem o mínimo. Assim agem os planos de saúde também e isso meio que diminui nossa importância, mas saiba que um bom profissional com liberdade para mudanças e melhorias evitaria pelo menos 90% dos acidentes e doenças adquiridas no trabalho.

  • Pedro Reis

    A Ergonomia é multidisciplinar, assim cada profissional fará a sua parte, infelizmente nem todas as empresas possuem: Fisioterapeuta (Risco Ergonômico e Reabilitação); Psicólogo ( Carga Cognitiva); Fono (Ruído e fala); Enfermeiro ( Epidemiológico); Engenheiro de Seg Trabalho ( PPRA – CIPA); Médico do Trabalho (SESMT), Educação Física (Atividade Física na Empresa), Farmacêutico (Exames laboratoriais) assim todos…UMA EQUIPE, na busca da saúde do trabalhador. Neste sentido João Vitor A Matéria na qual você fez uma crítica, esta é a função do fisioterapeuta…Agora cabe a organização do trabalho (Patrão), montar o seu comitê ergonômico.

    • João Victor

      Então, faltou citar um profissional, o terapeuta ocupacional, único profissional que realiza análise de atividade e ocupação de forma globalizada, sem fragmentos. Óbvio que sei que se trata de um trabalho em equipe multidisciplinar, o problema é que muitas empresas compram a ideia de que a ginástica laboral e a análise biomecânica do trabalho vão resolver todos problemas, e muitos fisioterapeutas vendem isso (querem vender seu peixe, claro) mas não vão, infelizmente. O trabalho tem que ser visto sob os aspectos físicos, estruturais, mentais, cognitivos e sociais.

  • sanzia dantas

    Acredite João Victor, a fisioterapia do trabalho é muito importante dentro de uma empresa. É muito mais que isso que você presenciou nessa empresa de telemarketing. A atuação é bem mais abrangente. Procura conhecer um pouco mais do assunto, então perceberá que o fisioterapeuta do trabalho faz sim grande diferença dentro de uma empresa.

    • João Victor

      Justamente, por procurar saber do assunto que a Saúde do Trabalho deve ter um olhar global, não somente nos aspectos físicos relacionados ao trabalho.

  • Margarida Duarte

    O fisioterapeuta é chamado ao local de trabalho dos clientes?

Conteúdo de fisioterapia

Categorias

Conheça as áreas
da fisioterapia

Banner Livro

Conhecer o Livro

Receba nosso conteúdo
por e-mail